Indústria
Tecnologia
Localização
Lisboa
Cliente desde
março de 2021
Número de colaboradores
11-50

Coverflex: dar espaço ao espaço

A história do IDEA Spaces

Autenticidade, paixão, simplicidade, "accountability" e excelência são os valores que servem de bússola ao IDEA Spaces.
Faltava flexibilidade ao pacote de compensação dos colaboradores do IDEA Spaces, que não contemplava benefícios flexíveis.
A introdução da Coverflex foi comunicada aos colaboradores de forma simples e direta, e a plataforma muito bem recebida por todos.

Conseguimos complementar a compensação global da equipa com uma forma flexível de eles escolherem onde gastam o seu dinheiro, além daquilo que vai direto para a conta bancária.

João Simões
,
Fundador e CEO do IDEA Spaces

A ideia surgiu, como resposta a um problema, em meados de 2013, conta o fundador João Simões. Com a mulher, Sónia, João foi pensando numa maneira de combater a insatisfação que ambos sentiam com as respectivas carreiras. “Queríamos uma coisa diferente”, recorda, em conversa com a Coverflex. “Aquilo que nos estava mais a saturar era a forma como as pessoas eram olhadas profissionalmente e no seu local de trabalho. Começámos a explorar, a tentar perceber o que podíamos fazer mais para potenciar o talento das pessoas, para que as pessoas pudessem adquirir esse conhecimento de uma forma mais dinâmica, e como se poderiam criar modelos mais colaborativos, e aí surgiu a noção do ’espaço’”.

Sim, o ponto de partida foi esse: criar um “espaço” que garantisse aprendizagem, trabalho, colaboração. 

“Começámos a empresa com três áreas de negócio e, claramente, o nosso time to market foi péssimo”, adianta o CEO do IDEA Spaces. “Na altura ninguém queria saber do que eram soft skills.”, relembra. A primeira decisão passou por eliminar o pilar ligado à gestão de talentos, e também o segundo, relacionado com a formação. “A única que ainda estava a trazer alguma parte de negócio era a parte de coworking, foi aí que começámos a apostar”, recorda. 

O desafio

O foco no negócio do coworking como única fonte de receita foi o garante do crescimento do IDEA. Do primeiro espaço, no Parque das Nações, começaram com 400m2. Ao fim de um ano, acumulavam o triplo - 1.200m2 -, mas o trabalho ainda não estava feito. “Passámos as tormentas no ano de 2016, em que houve alguma instabilidade de mercado e estávamos a ver o que ia acontecer. Até que, de 2017 para a frente, começámos a crescer e, a cada ano, íamos abrindo uma nova localização”, conta João Simões. 

Atualmente com cerca de 3.000 membros e mais de 300 empresas a integrar o ecossistema, o IDEA conta com quatro localizações totalmente operacionais, e ainda com uma quinta, no Beato, que manterá uma marca alternativa “mas faz parte do grupo”. Os planos para continuar a crescer fazem-se sem pestanejar: a sexta localização está prevista para o final de 2023, na zona de Alcântara, com o objetivo de procurar “outro segmento de pessoas”. 

Mas novos espaços incluem também novas pessoas na “casa”. A equipa do IDEA conta com duas dezenas de pessoas que trabalham à volta de uma missão e visão partilhadas. “Desenvolvemos uma framework, confesso que ainda estamos a dar os primeiros passos. Autenticidade, paixão, simplicidade, "accountability" e excelência, que não pressupõe ter 100%, mas é um convite a que sejamos sempre melhores.”, assinala João. 

É também nesse contexto de crescimento exponencial que surge a Coverflex. “Tínhamos um sistema normal de cartão de refeição, que era claramente insuficiente, quando começámos a olhar também para as pessoas e ver de que forma podíamos compensá-las, que não fosse tão onerosa e lhes desse essa noção de flexibilidade.”, explica o CEO. 

A solução

A introdução da Coverflex no IDEA foi comunicada aos colaboradores de forma simples e direta.  “Antigamente, só tínhamos benefícios ao nível de subsídio de refeição e foi-nos comunicado que, a partir de dado momento - quando a Coverflex também abriu operações e expandiu negócio em Portugal -, íamos poder usufruir também de um valor mensal para gastar no que cada funcionário entendesse, fosse equipamento de telecomunicações, ginásio, saúde, criar contas de poupança-reforma. Dando a possibilidade a cada elemento da equipa de escolher um extra, o que foi muito bem recebido por toda a gente”, recorda Joana Esteves, Community Manager do IDEA Spaces do Saldanha.

João acrescenta: “Realmente foi uma plataforma que nos trouxe aquilo que nos faltava. Conseguimos complementar a compensação global da equipa com uma forma flexível de eles escolherem onde gastam o seu dinheiro, além daquilo que vai direto para a conta bancária.”

Para Joana, o benefício fundamental é o desporto. “Seja pela utilização no padel, ou nas aulas de surf, ou até nas mensalidades do ginásio”, diz. Já João, não tem dúvidas: “Todo o meu plafond é gasto em tecnologia”.

O benefício favorito da Joana Ginásio

Outras histórias sugeridas

Prescrição deste Doutor (das) Finanças: compensação à medida
ver história
Coverflex, um “colchão” à medida do talento da Emma
ver história
ComparaJá: Coverflex para simplificar processos sem torná-los simplistas
ver história