D

e importantes a fundamentais. A importância dos benefícios flexíveis nos planos de remuneração das pessoas, dentro das empresas, tem evoluído ao longo dos anos de forma crescente. Enquanto, há alguns anos, a compensação flexível era vista como complemento apenas acessível a alguns, o tempo fez com que se revelasse princípio basilar em muitas empresas. Esta transformação foi tema de conversa do primeiro webinar da Coverflex, “Compensação: back to basics”, sobre a crescente importância dos benefícios flexíveis na atração e retenção de talento. João Franqueira, Head of People da Coverflex, Marta Santos, diretora de Recursos Humanos do Grupo Arriva, e Rui Soares, Corporate Human Resources Director da DESFO Holding, conversaram sobre a gestão da área de benefícios flexíveis nas empresas e sobre as tendências cruciais em matéria de compensação no contexto atual.

A conversa toda pode ser revista aqui.


A importância dos benefícios flexíveis tem evoluído de forma ainda acelerada recentemente. Se, há alguns anos, a existência de benefícios era nula ou muito reduzida (os seguros de saúde foram dos primeiros a ser considerados pelas empresas), essa realidade era, ao mesmo tempo, pouco valorizada pelas pessoas, aponta Rui Soares. Hoje, os benefícios flexíveis são, mais do que importantes, fundamentais na compensação dos colaboradores, “um must have e não um nice to have”, acrescenta, deixando claro que é necessário ouvir os colaboradores. “Eles, melhor do que ninguém, sabem dizer-nos aquilo que querem, o que leva a uma maior retenção das próprias pessoas”.

Se os benefícios flexíveis são uma presença necessária na remuneração dos colaboradores, a importância de os comunicar bem a cada um deles torna-se “fundamental”. “Se queremos passar a mensagem de que os benefícios são individualizados, a comunicação também tem de ser individualizada”, diz Marta Santos, que concorda com Rui Soares no que toca à necessidade de tornar esta comunicação eficiente desde o dia 1: no momento de se fazer a proposta de valor aos candidatos, é imperativo que seja mencionada a oferta de benefícios flexíveis “se queremos ter melhores pessoas”, defende Rui.

“Se queremos passar a mensagem de que os benefícios são individualizados, a comunicação também tem de ser individualizada”, diz Marta Santos, que concorda com Rui Soares no que toca à necessidade de tornar esta comunicação eficiente desde o dia 1: no momento de se fazer a proposta de valor aos candidatos, é imperativo que seja mencionada a oferta de benefícios flexíveis “se queremos ter melhores pessoas”, defende Rui.

Para acompanhar a necessidade de uma oferta cada vez mais personalizada, a tecnologia tem tido um papel fundamental. “Quando temos algo que simplifica a dor do gestor de recursos humanos, é uma vantagem muito grande”, refere João Franqueira, que enquanto Head of People na Coverflex é também um colaborador na startup tecnológica, tendo acesso a benefícios flexíveis. “Eu sinto que não sou igual aos meus colegas. Decidir e ter a autonomia e a capacidade de dizer “Eu posso escolher” é fundamental”, confessa.

“Quando temos algo que simplifica a dor do gestor de recursos humanos, é uma vantagem muito grande”, refere João Franqueira, que enquanto Head of People na Coverflex é também um colaborador na startup tecnológica, tendo acesso a benefícios flexíveis. “Eu sinto que não sou igual aos meus colegas. Decidir e ter a autonomia e a capacidade de dizer “Eu posso escolher” é fundamental”, confessa.

Pontos a reter:

  • A flexibilidade de benefícios é uma matéria evolutiva e o caminho está traçado: cada pessoa é única na sua realidade e contexto de vida. Diferentes gerações tendem a querer coisas distintas, têm diferentes expectativas e exigências, e os benefícios flexíveis permitem que se possa dar a cada pessoa o que ela quer.
  • É fundamental para a atração e retenção de talento que haja um empoderamento dos colaboradores; que estes tenham a oportunidade de desbloquear o seu potencial e de ser donos da sua remuneração.
  • A divulgação dos benefícios flexíveis depende do setor a que pertencem as empresas e os colaboradores.
  • Muitas vezes o salário das pessoas em Portugal não é suficiente: os benefícios flexíveis permitem também uma maximização do salário do colaborador, dando-lhe o bem-estar e a segurança de poder chegar ao fim do mês com dinheiro para tudo.
  • Dentro da enorme diversidade de benefícios, assiste-se a uma procura crescente de soluções de poupança e saúde.
  • A Coverflex oferece uma solução que simplifica a carga administrativa dos gestores de recursos humanos, de forma a tornar mais fácil e indolor o acesso dos seus colaboradores a um plano de benefícios flexíveis.
  • A pandemia tem levado as empresas a repensar a sua forma de organização e gestão de pessoas, e as pessoas a olhar para as empresas com um nível de exigência cada vez maior.

Mais sobre 

Conversas

Ver Todos